quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Quem manda na situação...


Ela não pediu licença, deu uma batidinha rápida na porta e entrou como quem entra em sua própria sala com uma decisão na cabeça e cheia de atitude no corpo. O seu chefe continuou com o mesmo olhar embasbacado de sempre, não de sempre o tempo todo, mas de sempre que a via. Ela fechou a porta passando a chave e se enconstou nela por um momento fitando o homem com um ar sorridente...
Calmamente andou até a cadeira giratória e no mesmo movimento do girar da cadeira a moça dobrou as pernas e cravou seus pés na mesa do homem sabendo que estava em posição de vantagem. É bem verdade que aquele escritório era mais dela que dele por direito, todos os dias chegava mais cedo e organizava o espaço de modo que sabia encontrar alí qualquer objeto com máxima precisão, e não foram poucas as vezes que sentara na confortável poltrona do chefe sem nenhum constrangimento e ficava a imaginar a cena que ela agora fazia.
_Vejo que a senhorita já pensou na minha proposta e presumo que já sei também da tua decisão.
Ela responde olhando as unhas como se tratasse de coisa sem importância:
_ É Dr. Raul, já decidi sim e confesso que nem precisei pensar muito. Na verdade sua proposta era uma questão de tempo, caso o senhor não saiba eu sou ainda melhor lendo olhares que quando reviso os relatórios da empresa.
Com admiração e o ego explodindo de contentamento ele responde:
_ Ora Júlia, não me trate por Dr. quando estivermos a sós, assim você até põe em risco toda a autoridade que exerceu aqui desde que entrou por aquela porta. Aliás, se lê tão bem olhares já deveria tê-lo feito a mais tempo.
_ Confesso Raul que você ainda não estava pronto e me repreenderia como um ato instintivo de auto proteção.
Ele ainda mais envaidecido:
_ Então me diz que você me oferece risco? Pode me dar uma mostra?
Agora ela o encara desafiadoramente para respondê-lo:
_ Não me custaria nada vê-lo completamente despido de sua tão acostumada postura autoritária a receber ordens minhas, a esforçar-se para não deixar transparecer a sua completa falta fôlego como se não fosse para mim evidente e até interessante nossas diferenças...
Toca o telefone.
Os dois se entre olham sem  nenhum movimento por parte de ambos até que o telefone volta a tocar e Júlia que já havia pulado no colo de Raul atende:
_ Eunice eu não pedi para não ser incomodada?!
A outra voz responde do outro lado da linha:
_ Desculpe-me Drª. Júlia, é que ligaram da sua casa. A babá disse que seu filho está queimando em febre e o seu marido não está em casa.
A então Drª. Júlia desliga o telefone furiosa abre a gaveta onde fica a sua bolsa e entrega a chave do carro ao Raul acompanhada das seguintes palavras:
_Você dirige, eu estou muito nervosa, o Julhinho está com febre e a babá ligou avisando. 
Os dois saem apressados e no carro depois do susto a Júlia comenta fazendo um afago no marido:
Não se preocupe querido, depois nós continuamos a brincadeira. Na segunda feira que é quando o seu restaurante está fechado para o público.
_ Combinado então. _ Responde o Raul com sorriso nos olhos.
Nas segunda feira... Ele entra na sala de gravata borboleta e avental  como quem entra na cozinha da própria casa, enquanto ela decora desajeitadamente um prato...

PS: Continua na imaginação de cada um de vocês.

Juci Barros

9 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Adorei, nada como a fantasia para apimentar uma relação.

BeijooO*

Lua disse...

MUito bm o texto.

ainda to sem net, mas hj tirei um tempinho vim aqui..

bjo ;)

Ana Paula disse...

Que inusitado deixar o final por minha conta... G.G'

rsrs... obrigada pela visita ao meu blog! O seu tbm é muito fofo! *-*

Estou seguindo e estarei sempre voltando para acompanhar as postagens! ^^'

;*

Ana SS disse...

Olá!
Bem-vinda ao significates, filósofa!!!
Te seguindo.
Um abraço.

Perfeita Beleza disse...

Oi flor !!!

Amei seu cantinho e já estou te seguindo e se tiver um tempinho passa lá no meu é sobre cabelos e se gosta me segue tbm...

Beijos *-*

perfeitabeleza.blogspot.com

meus instantes e momentos disse...

bom e inspirador o texto, muito bom.]
Maurizio

Paulo Becare Henrique disse...

Olá, Juci!

Obrigado pela visita e pelo comentário. Também achei seu blog ótimo e criativo. Estou seguindo...

*lua* disse...

Adorei Juci, adorei tua estratégia de texto, o sórdido óbvio deu passagem ao romântismo absoluto! Fantástico! Beijo grande!

aldrey disse...

Adorei teu blog..bjs querida