terça-feira, 24 de maio de 2011

"Meu mundo tá fechado pra visitação"

Ele acredita tanto ser muito bom que me convenceu. Eu tinha que pagar para ver e esperava não ser tão caro.
Ele crê que é compreensivo, e houve o dia em que de fato eu não pude ouvir suas bondades e recompensá-lo por ela... ele ficou ferido e sentiu tanto a ponto de não suportar minha presença sem reverenciá-lo; partiu.
Ele crê ser atraente, viríl, o cara que faz e acontece. Isso é porque ele não conta as vezes que não faz,e pior, as que não acontece.
Ele jura ser atencioso, até é; para com as suas próprias necessidades, e para com as minhas também, mas de acordo com suas conveniências.

Eu não sou tão boa assim. Às vezes fico chateada por coisas que não consigo compreender. Também sou um pouco pedante porque sei exatamente o que provoco. E chata porque falo quando não estou afim e pronto, mas se estou as coisas acontecem no mínimo como eu quero que seja. Eu posso não declarar saudades, mas estou junto e as minhas prioridades são evidentes aos que cercam, mas... com o tempo que passa e com a falta dos que não souberam ser o que gostariam; as prioridades mudam.

sábado, 21 de maio de 2011

Equilibrio

Um dia não se sabe quando você acorda com uma certeza nauseante de que não se vive de sonhos. 
Mas, nas noites seguintes ao se colocar confortável para dormir, você age com uma certeza flutuante que é nos sonhos que precisa descansar.


Chamo a isso de equilíbrio.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

No tempo do tempo...

No tic-tac das horas abri meus olhos 6hs da manhã. E um segundo seguia o outro sem saber do meu atraso. Comecei a seguir o tempo como se eu fosse dele e ele não fosse meu. Geralmente almoçava com pressa e por volta das 13hs.
A medida que o tempo esfriava conseguia acompanhar o tempo com meu sangue quente e me dava ao luxo de ser bem lady, andava no salto com toda a elegância e sabia que por onde passava deixava um aroma sedutor de cheia de vida. Olhei para o relógio quase sem interesse  as 18hs.
No somar das horas já é hoje e tenho a sensação de que o tempo está me espreitando, como se ele soubesse mais do que eu que estarei ainda melhor em dias do amanhã. vestida de festa e centro de tudo que é mágico contrariando todo o meu senso de realidade.

domingo, 15 de maio de 2011

Tem jeito?

Queria que meus dias tivessem mais 1/4 de horas...
Que meus interesses tivessem 50% menos de ansiedade...
E ainda para tentar conciliar precisaria ter no mínimo o dobro de energia...