segunda-feira, 31 de maio de 2010

Palavras de silêncio

Há em mim um silêncio latente, quase gritante. Me abrigo nele e o mundo inteiro habita em mim.
O silêncio é como um cofre que guarda o que há para ser dito e desconheco.
Existem muitos silêncios:
O silêncio timidez;
o silêncio choque;
o silêncio resposta;
o silêncio desprezo;
o silêncio respeito;
o silêncio dúvida;
o silêncio certeza...
Eu até desabafo em silêncio, e silencio para ouvir outros desabafarem. Sei como é assustador perder o direito a fala; mas quem suportaria perder o direito de calar?
As palavras são fruto do silêncio, da reflexão. Digo as palavras valiosas.
Algumas vezes o silêncio toma proporções a ponto de sufocar alguém.
Muitas pessoas apenas condenam o silêncio. Não sabem ouvir. Também não medem o que falam ou fazem.
Quando julgam o que penso muitas vezes traem-me. Meu silêncio não é alheiamento ou descaso...
Talvez, se tentassem ouvir as palavras que calam entenderiam no meu silêncio um amor revelado em cuidado; contemplação.
Quanto mais tempo em silêncio permaneço com alguém, é porque minha admiração lhe reserva palavras dignas a serem ditas no momento oportuno.
Mas ao se precipitarem me jogam no silêncio tristeza... porque não me entendem. Fazem pouco do muito que os ofereço.
Ah se entendessem que enquanto minha boca não professa uma só palavra os meu olhos se declaram...
Mas logo calam os meus olhos que precisam conter a ânsia de falar quando recebem um silêncio de indiferença ou  medo.
Então calo fechando os olhos...
Em silêncio soluço....
Em silêncio choro...
É o silêncio tristeza que pede a palavra.



13 comentários:

Fátima disse...

Que curioso! Estou aqui com palavras na cabeça talvez um próximo poema: "..silêncio noturno,ouvindo o barulho do mundo.. e ainda não sei oque mais...rs"
Abri minha página e tenho tuas agradáveis palavras, venho a tua e me deparo com o teu silêncio.
Um silêncio que fala!
Lindo texto, grata pela visita.
Voltarei, beijo.

João disse...

Muito bem, boa compilação de 'devaneios'
Parabéns ;)
Grande comentário o teu, vale a curta distancia virtual a que estamos!
beijinhos

Atitude: substantivo feminino. disse...

Belo texto!
Mudou a fotinha!!!
Ficou lindinha!!
Kisses, girl

*lua* disse...

Silêncio .........

Não aguentei: Adorei!!!!!

Beijos Juci linda

Amapola disse...

Menina, que maravilha!!
O silêncio diz tanto...

"Fazem pouco do muito que os ofereço"
Amei!!

Um grande abraço, amiga Juci.

Poupée Amélie™ disse...

Jú,
Adorei seu texto! Lindo e oportuno.
Dizem que pessoas sábias ouvem mais do que falam, e que o silêncio muitas vezes fala mais que muitas palavras. Ainda bem que temos o direito a ele e que nossos pensamentos não podem ser lidos por ninguém, a não ser por Deus.
BeijO*

*lua* disse...

Minha flor bom dia!!

Te convido a assistir um vídeo que postei no blog, para tocar seu coração só por hoje, como permiti ser tocada só por hoje!!!

beijos linda

afonso rocha disse...

Sabes...quando era mais jovem detestava uma coisa chamada silêncio. Me fazia confusão...
Detestava ficar sózinho...em silêncio...
Hoje adoro o silêncio...está tudo lá...
...arte....música...amor...tudo!
...mas continuo a não gostar de estar sózinho...por isso tento encontrar sempre alguém...para partilhar o SILÊNCIO!!!!
Embora às vezes...o sacaninha do vizinho faça demasiado ruído...
Até o desculpo...em zen!!!
Ele talvez até tenha razão...
...é para me acordar...e voltar à realidade do quotidiano....
Beijos....
Gostei. Por isso voltei...e hei de voltar mais vezes...

Eduardo Medeiros disse...

Silenciosamente para não ferir o seu silêncio, digo-lhe sussurrando: "Que belo poema"!

abraços

Olga Durães disse...

é tão difícil fazer silêncio pra essas palavras tão bonitas, parabéns

Filipe Costa disse...

Oi Juci,
Belo texto...
Gostei!
Um abraçoooo!

Renato Hemesath disse...

Palavras de silêncio: um paradoxo enorme àqueles que não concluíram que o silêncio fala, diz e quer representar algo.

Beijos, boa semana!

Benjamin disse...

Eu gosto do silêncio, no silêncio eu sou invisível,
No silêncio me escondo do mundo, mais meu silêncio
Mais profundo eu arquiteto, é o silêncio etéreo da minha
Alma, este eu guardo no cofre a sete chaves, é o meu tesouro.
"Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará teu coração" (Mateus 6.21).