quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Que eu não apenas reste em lembranças

É... eu não gosto que lembrem de mim! As pessoas que lembram de mim podem até ser boas pessoas mas, são as mesmas que me esquecem. Elas não estão comigo nas horas que preciso delas, elas me deixam passar por elas quando lembram de mim...
Classifico três tipos de pessoas no "meu mundo": 
1. As que não me conhecem ( e aqui estão incluídas as que conseguem ficar indiferentes).
2. As que conhecem e não gostam de mim.
3. As que conhecem e me amam.
As pessoas que lembram de mim são as piores, elas lembram de mim porque lhes doei existência, pois quanto as que não me conhecem não tive oportunidades, e as que são indiferentes é porque não consegui existir para elas de forma que fosse significativa a ponto de terem lembranças nossas.
Eu também lembro das pessoas e isso não me faz uma pessoa ruim é claro, só não fazem delas tão boas assim. E trato aqui também de lembranças boas, de flashs. Mas lembrança não é saudade do outro, é de um tempo, é saudade de si mesmo. Lembranças me tocam, e muito. Mas eu não posso tocá-las, ainda que talvez deseje. O que eu sei é que lembrança é de qualquer coisa que foi e que eu deixei passar.
Você pode estar querendo me perguntar se não lembro das pessoas que amo, e eu respondo: Não lembro delas. Sabe por quê?

Das pessoas que amo eu não esqueço, eu as memorizo e levo comigo pra qualquer lugar. Delas eu sinto saudades de um outro jeito, é mais uma vontade de tê-las por perto em outras situações com o frescor das coisas novas que ainda não aconteceram; do sorriso que parece com os que tenho na memória mas único e completamente novo porque não é o sorriso de ontem. As pessoas que eu amo não ficam empoeiradas nas lembranças do passado, eu as projeto no meu futuro. Temo tanto que alguma delas lembre de mim...
Em datas especiais eu presenteio as pessoas com presente, jamais com lembrançinhas! Que nenhum objeto seja motivo para recordar no sentido de lembrar, que eles sejam pra afirmar uma coisa que é e não algo que foi. O que não é memória é esquecimento, as lembranças só falam do que foi esquecido. Memória é a própria existência cheia de valores.
Quanto as pessoas queridas que se foram eu também não lembro, eu nunca perdi nenhuma delas. Todos os meus amados estão vivos, mesmo os que já não moram em corpos, estão comigo mais que antes em todos os lugares porque tenho a impressão de que participam das conversas que tenho em mente sem que precise falar. Os que não esqueço não morrem jamais, pois já são parte daquilo que sou. Se por eles choro é pela tamanha presença em minha vida, ou pela dor que me toma quando percebo que não posso mais ver um sorriso fresco ou sentir o calor de um abraço mas, ao mesmo tempo percebo que fui agraciada com suas existências plenas.
Não vou esquecer nada de bom do meu dia de hoje, na verdade vou usá-lo para atropelar qualquer ameaça de um dia ruim. Eu lembro de dias ruins, nos dias bons que sempre ficam.

Não Se Esqueça deMim
Composição: Erasmo Carlos / Roberto Carlos
Onde você estiver,
Não se esqueça de mim
Com quem você estiver não se esqueça de mim
Eu quero apenas estar no seu pensamento
Por um momento pensar que você pensa em mim
Onde você estiver, não se esqueça de mim
Mesmo que exista outro amor que te faça feliz
Se resta, em sua lembrança, um pouco do muito que eu te quis
Onde você estiver, não se esqueça de mim
Eu quero apenas estar no seu pensamento
Por um momento pensar que você pensa em mim
Onde você estiver, não se esqueça de mim
Quando você se lembrar não se esqueça que eu
Que eu não consigo apagar você da minha vida
Onde você estiver não se esqueça de mim...

14 comentários:

Ives disse...

Olá, linda reflexão, lembramos de instante feliz tb né, abraços

Joana Carvalho disse...

gostei :)

sim sou eu que tiro, é bom saber que tenhas gostado do meu trabalho, obrigada

Vitor disse...

Excelente texto baseado numa análise muito intimista,que dá para meditar,e muito...gostei imenso!

Bj*

Eduardo Medeiros disse...

Oi Juci, tudo bem? Que bela reflexão você nos dá! Realmente você está certa: As pessoas especiais da nossa vida não precisam mesmo serem lembradas. Nunca tinha parado para pensar nessa verdade.

abraço

Amor feito Poesia disse...

Ah! Deixa-te vogar, calmo, ao sabor
Da vida... não há bem que nos não venha
Dum mal que o nosso orgulho em vão desdenha!
Não há bem que não possa ser melhor!

Florbela Espanca

Feliz tarde!Beijos perfumados! M@ria

Renato Hemesath disse...

Muito bem colocado! o que você escreveu é ao mesmo tempo reflexivo e realista. Aqueles que nos amam/lembram-se de nós também nos esquecem, retratando bem que a instabilidade do sujeito se mostra e se revela o tempo todo!

Beijos

-------------------------------
Cine Freud no Twitter:
@cinefreud_

Mark disse...

Gostei do seu texto, Juci. De facto, as pessoas especiais têm sempre o seu lugar.

Você deixou de seguir o meu blogue. Aconteceu alguma coisa?

so sad disse...

nem sei se quero que muitas pessoas lembrem de mim...rs
beijo!

Veronica Rodrigues disse...

Quem a gente ama a gente não esquece.

obrigado pela visita lá no café lindoca. um beijo e bom final de semana.

Mark disse...

Pois, eu estranhei... O Blogger é meio estranho mesmo. :)

Beijinhos. :)

Valéria Sorohan disse...

Fizestes um texto bastante agradável de ler, quando leio algo seu, eu consigo entender cada uma das referências e pontinhos que você aborda, ou pelo menos cada uma delas tem um significado pra mim.

BeijooO*

*lua* disse...

Juci minha flor, eu quando lembro de alguém, é pq o meu consciente relapso pega ela no meu inconsciente a tomar todos os espaços de meus pensamentos e realmente se for um amor, pode até fazer com que meu cérebro esqueça de dar o comando para bombear sangue por minhas veias. E as pessoas que esqueci, também de vez em outra lembro, mas não o suficiente tomarem minha mente como únicas. Você sempre exalando introspecção. Um beijo flor

ErikaH Azzevedo disse...

È como se o lembrar carregasse consigo o esquecer né..estivessem ambos juntos, eu te entendi bem mas não concordo...lembrar é que pra mim torna o tempo sempre no presente, pq lembrar pra mim é viver duas vezes, viver novamente.
Somos feitos de vivencia, as memorias é que nos comprovam isso.

Bjinhos linda.

Erikah

Juci Barros disse...

O lembrar não é ruim, mas melhor mesmo é não esquecer...