quinta-feira, 15 de julho de 2010

Para refletir e reconhecer


"Quem contempla aqueles temíveis despenhadeiros escarpados onde geleiras se acumulam considera impossível que venha um tempo em que, no mesmo sítio, se instale um vale de relvado e floresta, com regatos. Assim é  também na história da humanidade: as forças mais selvagens abrem caminho, e, embora destrutivas, de início a atividade delas foi necessária para que, mais tarde, um modo de vida mais suave aí se erguesse sua morada."
(Nietzsche. Humano, Demasiado Humano.)  

8 comentários:

*lua* disse...

Penso eu que toda destruição que se transforma em suaves contemplações são para as pobres criatura que não sujaram suas mãos de sangue! Beijo Juci!

JPM disse...

Olá,
Quando penso em açudes mal construídos, em casas nos morros, à beira de corregos, em enormes árvores junto a residências ou locais de trabalho,... tudo feito pela mão humana e com a omissão do Poder Público, não tenho como não lembrar das pessoas que ali já perderam a vida e outras que ainda vão perdê-la.
Saúde e felicidade.
JPMetz

Psiquismo Desmistificado disse...

Minha querida,
Bela lembrança!
Cada coisa ao seu tempo, cada momento após o outro, e a confiança sempre na metamorfose.
Inesperado não é o desconhecido, mas o rompante das incertezas que não deveriam ter tanto poder em nossa mente.
Beijoss

ValeriaC disse...

Florzinha amiga, vim agradecer sua visita e suas tão doces palavras...e claro que estou a te seguir, com muita alegria...amo palavras como você...voltarei com certeza...
Tenha um lindo final de semana!
Beijinhos
Valéria

Lua disse...

é sempre bom refletir!
Eu sou de Fortaleza, mas ja fui ai na sua cidade.

beijo ;)

Sônia Silvino disse...

Oi, Jucy!
Adorei a tua visita! Estava com saudades.
Vim conferir as novidades e me deliciar com os teus posts.
Bjkas!

FÊNIX CRUZ disse...

Olá linda AnJuuuuu sempre viva e apaixonada! Que bom ser jovem e que bom não ser e conviver com...(kkkkk...)

Mas, vim com mensagem...

Tem um selo de reconhecimento para o Compromisso com o Acaso no blogue ENGENHOLITERARTE. Receba o nosso carinho pelo seu trabalho sempre tão gostoso da gente acompanhar... beiJuuuuuuuuuuuu!!!

Fátima disse...

Olhando esse texto, não como algo físico ou material, mas sim com o sentimento. Por mais devastador que ele seja, só depois, compreendemos o seu porque.