sábado, 10 de julho de 2010

Hoje vou escrever sobre você

Foi a frase do Marquinho outro dia no MSN, dentre tantas outras de tamanha importância para mim. Aquele dia ele acabou não escrevendo, mas hoje eu sinto muita vontade de escrever sobre tão querido amigo, que talvez por uma falha minha não saiba o quanto o seja.
Marquinho foi um dos meus primeiros contatos feito no "mundo virtual", portanto, fazem cerca de seis anos_é o tempo que comecei a me interessar pelo teclado de um computador_ Ainda lembro o nick do Marcos, (apesar de não fazer idéia alguma do meu, acreditem, não sou muito simpática a idéia de amizades que surgem na internet, mas tenho algumas das boas que assim iniciaram, dá pra contar nos dedos de uma mão, mas ainda me fazem repensar, e Marquinho é uma delas) a princípio o chamava de Ian. Eu iniciava o começo da minha jornada universitária, e ele trabalhava em uma rede de supermercados, repositor eu acho, e muito sedento de conhecimento. Me encantei pelo interesse daquele garoto que fazia as próprias oportunidades, e se um dia eu esboçava algo sobre um pensador, em dois ou três dias o Marcos trazia suas principais idéias, pois comprava uma obra indicada e esmiuçava cada frase, e com uma humildade maravilhosa me trazia questionamentos que nos levavam a entrar madrugada adentro filosofando. Logo me apresentou textos de sua autoria. Mas nossas conversas eram muito ricas, tratávamos de música; rock progressivo, o nacional, a mpb e até nossas bandas regionais que surgem de tempos em tempos. Nem sempre concordávamos, mas havia um respeito mútuo que permeava as nossas conversas.
Eu não fazia idéia alguma sobre a aparência do Marcos, e inexplicavelmente não sentia muita curiosidade, aquele amigo me bastava assim como estava... mas, apesar de já ter-me visto em fotografias, ou talvez por isso mesmo, o meu amigo sugeriu que nos víssimos, e eu; bem, eu me recusei. Mas tanto o Marcos quanto eu estávamos mergulhados em uma amizade que nos fazia comentar com outras pessoas sobre alguém tão... tão interessante. E, logo surgiram interessados em serem amigos dos nossos amigos. Assim de um modo incorreto diga-se de passagem uma "amiga" pegou o contato do Marcos e iniciou o que ela pretendia uma amizade com o MEU amigo, e ao marcar para conhecê-lo prometeu levar-me.  Assim me pegou subitamente com a notícia, e um tanto contrariada lá fui eu. Sem nenhuma referência eu sabia quem era o Marquinho, e ele me reconheceu, a mim e a outra garota. Ela não tinha os nossos gostos e acabou sendo um detalhe para a efetivação da nossa amizade, aos poucos deixaram de se falar, de modo que o contato deles se resumia a ocasiões onde nos encontrávamos por acaso ou em ocasiões as quais eu reunia meus amigos.
Com o tempo conheci a história de vida emocionante daquele garoto e só o admirei ainda mais. E ainda que cheia de reservas, me permiti descansar e chorar no ombro amigo do Marquinho, que soube de coisas que nem imaginei contar a amigos de longa data. Marquinho é daquelas pessoas que dizem; Eu te amo! Ou ainda; Você é muito especial em minha vida. E agora com alguma frequência: Sinto saudades...
O Marquinho foi para outro estado em outra atitude de coragem que me surpreendeu. Graças ao velho MSN mantemos contato. Tenho muito orgulho do meu primeiro melhor aluno, agora autor de livros. Falamos menos que em outros tempos, mas com o mesmo interesse, sobre as novidades, mas principalmente sobre o que não tem nada de novo dentro de nós. Eu não sou muito o tipo de pessoa que se declara todo o tempo, e portanto, como já coloquei, meu amigo não saiba o quanto o amo, o admiro e tenho uma saudade enorme dele. É uma falta que aos poucos tento consertar com ele e outras pessoas maravilhosas que por acaso cruzaram o meu caminho, mas que só com muita determinação permanecem, e hoje nem sei pensar um caminho sem eles.

10 comentários:

Eu lírico disse...

obg. pela visita
virei seguidora
:)

Altamirando Macedo disse...

É.. Juci, com amizades se abre caminhos e, normalmente são os mais floridos.
Abraços.

Poupée Amélie™ disse...

Reconhecer o valor de uma amizade é nobre. Nem sempre falamos para aqueles que amamos, o quanto são importantes para nós.
Lindo!
BjO*

Nini C . disse...

oi, adorei o testo, adorei o blog, já estou seguindo viu... beijos...

Fátima disse...

Me identifiquei com muita coisa que disse, tambem conto nos dedos pessoas que me aproximo no virtual. Mas tenho uma amiga Luci, muito querida, e tb conheci assim como vc conheceu o Marquinhos.Bom isso, amigos, mesmo nesse mundo estranho da net.

Beijos meu

*lua* disse...

O bom de se viver determinadas coisas é o poder que adquirimos em sentir exatamente o que o autor do texto quer nos passar ... entramos dentro da tua saudade, uma viagem nossa! Beijo Juci

Vitor disse...

Apenas te digo!Assim simples,mas enorme este texto.Sentidamente profunda o quanto uma amizade espoleta em ti...já era muita a minha admiração por este cantinho,onde se escreve com carinho...agora mais encantado fiquei.Parabéns pelos teus nobres sentimentos.

Bj*

Marcos Almeida disse...

Juci obrigado por tanto sentimento eu não mereço tanto de ti afinal aprendi tanto contigo sua amizade me fez crescer tanto que eu não tenho paralvras pra expressar o quanto foste importante pra mim
sem dúvida a parte mais difícil de tudo isso é ter que seguir em frente deixando pra trás aqueles com quem aprendemos a viver

mas fazer o que é a vida
Abraços te adoro

http://vida-media.blogspot.com/2010/07/parte-mais-dificil.html

XR disse...

Juci, obrigada pela visita.
Gostei do teu cantinho, adorei este texto. Quantas vezes nos esquecemos de dizer aos nossos amigos o quanto gostamos deles?
Fico contente que não tenhas deixado algo tão, tão importante por dizer - e já vi que o Marquinhos gostou também :)

Valéria Sorohan disse...

Eu conheço essa saudade, os amigos virtuais, são sempre futuros amigos reais.

BeijooO