quinta-feira, 1 de julho de 2010

"Eu não aguento a minha insegurança..."

5 comentários:

Helcio Maia disse...

Pra tua insegurança...segura a criança que há em ti, afaga-a, esfrega tuas mãos nas minhas, rega minhas esperanças com tuas lágrimas, até que elas (as lágrimas) sequem e só fiquem as esperanças, crianças doidas pra brincar, pra ser feliz.

*lua* disse...

Quando se é seguro demais, tornamo-nos donos de coisas que não são nossas: a auto suficiência torna o indivíduo sozinho não sendo ele suficiente ... A insegurança numa medida de bom sendo, é charmosa, humana e agregadora! Adorei a entrevista ... Elis é Elis. beijo Jú. Obrigada por tuas palavras de alento!

Poupée Amélie™ disse...

"Eu dei alta para a minha terapeuta. Ela ia enlouquecer!"

Adorei!

BjO*

Vitor disse...

...Tens o compromisso com o Acaso de o conseguires...acredita!

*

Eduardo Medeiros disse...

Grande Elis...saudades. Insegurança? Quem não a tem de vez em quando? Ela só não pode ser a regra, deve ser sempre, a exceção.

abraço