domingo, 4 de julho de 2010

O que é estar nas nuvens...

O seu rosto assim tão de perto me trouxe uma paz de fazer medo;
Enquanto falava comigo me perguntei como estive tanto tempo alheia ao fascínio que então você me exerce...
Cada vez mais acredito que te guardei, como se faz com os tesouros os quais o maior valor é a certeza de tê-los.
Agora quero gastá-lo, mas para te ver render, multiplicar, e também se render a mim para que cada vez mais me ganhe e me leve contigo.
Tanta vontade de "dividí-lo" com os meus...
Abandonei completamente o antigo que talvez ainda me caísse bem. E agora o medo, a insegurança de não saber o que tenho, ou de não saber merecê-lo. Mas tenho certeza: faria tudo novamente.
Você ainda não sabe, mas está me recuperando. Sinto tanta pureza em querer. Não te esforçes tanto além de suas mãos acariciando minha nuca ou me oferecer o ombro para encostar minha cabeça enquanto falamos sobre a lua e contamos estrelas... mas quando você encosta o ouvido em meu peito enquanto te abraço temo que percebas um coração que bate a ponto de quase explodir... e talvez seja por ouví-lo que encosta suas mãos nas minhas entrelaçando nossos dedos...
Sobre você tenho conversado com Deus aproveito; já que tens me levado tantas vezes ao céu. Pergunto a Ele se você é meu anjo, mas Deus apenas me responde com outra pergunta: Se ao teu lado me sinto protegida.
Respondo que sim. Mas confesso que em sua ausência fico ansiosa, e entre a ansiedade e a paz me confundo. Então resolvo apenas pedir que Deus nos abençôe.
Sobre as nossas brincadeiras; são o que tenho de mais sério no momento; minha felicidade real.
Ao lembrar da expressão de encantamento em você ao me reconhecer me sinto boba porque eu não me dei conta do que estava acontecendo.
Tantas foram as suas investidas e as minhas risadas como resposta; mas acredite, me convenceu que te preciso e há muita seriedade no sorriso do meu olhar.
Você fez pouco da minha "bagunça" e entrou como que entra em um palácio, me trouxe sonho, e em ti descanso... Você é divino porque me faz pensar em eternidade e o único fim que aceito pra tudo isso é o clássico: "felizes para sempre."
Tudo que preciso saber a seu respeito é quem sou para você.
A sensação de uma entrega parcial a cada encontro é só o desejo de um "até breve". Te espero tanto... e te espero ainda  mais a medida que te tenho. Ao mesmo tempo que com você descobri o que é ser tudo, também descobri o vazio. Sinto que a cada despedida você me leva, e a minha timidez me impede de te pedir que em troca você fique. Sou alguém que não apenas te quer, mas precisa do seu consentimento para te querer.
Se você me liga; eu existo! Se você não me liga? Eu não desisto! E de qualquer maneira me faz viver! Só posso ser grata.
Se eu pudesse passear no tempo escolheria os teus dias, para ver se me surpreenderia em alguma esquina.
Em meus dias te classificaria como o meu agora, te reafirmando a cada segundo, mesmo nos quais estou só, porque mesmo só não sei mais estar... em inspiração se faz presente e ao revivê-lo estou sempre em sua companhia.

7 comentários:

*lua* disse...

"Agora quero gastá-lo, mas para te ver render, multiplicar, e também se render a mim para que cada vez mais me ganhe e me leve contigo.
Tanta vontade de "dividí-lo" com os meus..."

Quer multiplicar e ao mesmo tempo parece tão grande, mal cabe nas suas mãos, sobrando pelos dedos ... queres compartilhar de graça aqui que ganhastes de presente! Lindo Jú, beijo

Kakah* disse...

oOOIII, Você entrou no meu blog e comentou e tal. Que bom que gostou, vim retribuir a visita e passarei a comentar aqui tb!

gostei do texto, mt bonito!

BJinhuss

Amapola disse...

Boa noite, querida amiga Juci.

As boas coisas que alegram a sua alma, você gostaria de multiplicar, para dividir com os seus...
O seu próprio coração as multiplica, menina do bem.

Um abraço apertado, amada.
Tenha uma bela semana, cheia de alegrias.

Poupée Amélie™ disse...

Amar é isso: tristeza e alegria juntas. O vazio, a saudade, a euforia, o voar das horas.

Belo texto!

Bisou.

Renato Hemesath disse...

Muito bom: o desejo de um "até breve", as vezes é este anseio que nos move. :)

João disse...

bem com toda a certeza, já li livros piores do que o conteudo e a forma de escrever deste blog!
beijos

Juci Barros disse...

Olha que comentário intrigante do João! Fiquei entre o elogio e a crítica, e não sei mesmo qual foi a do João, e é uma dúvida adquirida por certo. Vejam vocês que recentemente fiquei meio desconfiada do que me apresentaram como "lógica portuguêsa". Um cara aí que considero bem inteligente e com quem costumava trocar idéia de vez em quando, ao saber da minha admiração percebi que não teve inteligência emocional para conter e ficou muito arrogante, smpre colocando desculpas na tal lógica que já mencionei, e no fato de ser português. Desde então fiquei com a impressão de não entê-los muito bem, e aí li o comentário do João, que por sua vez é português. E aí João?! Tá com você agora.
Beijos a todos.