terça-feira, 20 de julho de 2010

E se pensar em mim

Não foram poucas as vezes que escrevi para aliviar um aperto, uma angústia que de algum modo me motiva a pensar sobretudo no que eu não quero. Mas hoje minhas palavras são mesmo uma confissão; logo eu sempre reservada, a que ouve, aconselha, que acaba fazendo piada e rindo quando tudo dá errado, ouso dizer até que a dona de um mistério muitas vezes perseguido pelos seres do sexo oposto. Hoje eu estou me despindo, não sem algum medo, mas é o resultado de um processo inevitável. Com algum receio resolvi mudar alguns posicionamentos, dar espaço a quem o buscava, ser menos platônica aos que assim me viam. A única coisa que eu não mudei e não pretendo fazê-lo, foi iludir, cada espaço cedido foi entrega sem que eu tivesse controle sobre ele depois.
Se tem algo que eu aprendi?
O que posso responder é que senti um vazio que está doendo, porque as pessoas estão vazias. Definitivamente eu nunca vou aprender a ser rasa! Eu nunca vou pedir a alguém um espaço que eu tenha a intenção de usar e não sinta a obrigação de cuidar! Eu estou decepcionada... no plural... multiplicando por 1000. Bando de gente estupidamente igual, estupidamente populares. Ninguém mais constrói sua história. Agora todos vendem uma imagem.

Eu não estou desistindo, como quase fiz outras vezes. Porque eu sim tenho uma história, que me fez intensa. Única. E o meu mistério é um espaço ainda nunca confiado a ninguém que de fato não mereceu conhecê-lo. Eu deixo sinais, que talvez alguém no futuro se emocione quando me reencontrar na lembrança: EUREKA! Agora eu entendi!
O meu medo?
Ser tarde. Ser triste.
Algumas vezes eu fui embora. E voltei. Mas até quando?
Eu vou dar um tempo. Dessa vez eu vou consciente de que volto. Vou sentir o que fica, o que permanece. Depois eu vou decidir o que merece ficar e permanecer.
Meu pedido?
Não me procure se não quiser me achar. Não acredite que todos estão tão iguais assim. Quando olho para alguém, eu não quero ver todo mundo. Não me elogie. Não me ligue. Não me visite. Não faça nada que não acredite ser especial. Não pense em mim. Mas se você pensar... eu já te invadi. Então me ligue, e me avise, e me faça acreditar que já sabes que eu sou especial. Antes. Antes que eu já tenha cercado e trancado um espaço que certamente já foi seu.

Obs: O que vocês leram aqui é absolutamente Juci. Não é ficção.
        De fato aproveito as férias para uma espécie de retiro, algumas coisas aconteceram sobre as quais só posso refletir com alguma distância. Talvez eu mude um pouco, e certamente será para melhor. Aos que me cercam de afeto minha gratidão, meu amor, e o pedido de que continuem assim, largos... profundos... e tão meus. E lembrem-se: Qualquer coisa é a mesma coisa. Mas uma coisa que não é qualquer jamais será igual a coisa alguma! Beijos!

5 comentários:

Anônimo disse...

Minha Amiga,

Incrível como alguns não dão o devido valor àquilo que outros procuram e desejam tanto... Àquilo que é raro!

Espero que ele veja, e sinta, a jóia especial que a vida lhe apresentou... Vc!

Não aprenda a ser rasa! Pq todo mistério, digno desse nome, não é raso, mas profundo, como a Vida!

Beijosssss!!!!

Davi Wood

ƸӁƷBeautiful Butterfly WomanƸӁƷ disse...

amei seu blog.parabéns!!!!belo post!!!serei sua seguidora.bjus!!

*lua* disse...

Ah Juci, de nada raso tem esse post. Sim ... encontramos pessoas vazias, mas quero acreditar que ninguém é vazio, apenas não se descobriram e não encontram e nós um elo que o façam se descobrir. Pessoas especiais para nós, são poucas. Infelizmente vivemos uma vida inteira garimpando elas, muitas vezes só encontramos areia. Porém, aos olhos de outros aquela mesma areia tem outro significado. Então desejo paz ao seu coração, que você consiga amenizar as temidas desilusões nossas de todos os dias, com a vida, com as pessoas, e entenda que apenas será vista pelo olhos que possuem capacidade para vê-la com a alma. Bom descando, volte logo menina. Beijo

ErikaH Azzevedo disse...

Sentimento aqui a transbordar Juci, pela pele, por cada poro dela, sentir de ausencia, de idas, de saudades de perdas e de tristeza sim, mas sentir que não tem vergonha de ser e de se expor, de se fazer oucir.

Lindo viu menina, muito lindo. Q encontres tu a serenidade , a força e a coragem no prosseguir , mesmo que seja este prosseguir feito de voltas.

Tu é feita de mergulhos menina, isso é tão raro hj em dia, e tão bonito.

Um beijo

Erikah

Marcos Almeida disse...

Você é feita de sonhos, Obrigado por me fazer sonhar a cada dia.

Desde que mergulhei no teu ser nunca mais encontrei saída e desejo nunca encontrar.

Abraços do menino em fragmentos.