segunda-feira, 10 de maio de 2010

O maior paradoxo: SAUDADE.

Presença na ausência,

O que foi, e ficou,

É o que não mais é,

Dor provocada por algo muito bom,

Não mais viver, para reviver,

Eu e você,

Não sei se estou com você,

Mas você está sempre comigo,

Não ao meu lado,

Mas em mim,

Se me perguntarem se lembro de ti,

Responderei que não,

E é verdade,

Não precisamos nos lembrar do que não esqueçemos,


Houve um fim, mas nunca acabou,



8 comentários:

D. R. disse...

Não precisamos lembrar...

Porque uma coisa é estar na nossa cabeça, no nosso pensamento...

E coisa bem diferente é estar no nosso coração! :)

beijinho*

Olga Durães disse...

leve e delicado

António disse...

Pois, essa é a questão. Haver um fim e nunca acabar!

Beijinhos
António

*lua* disse...

Ah Juci fiquei extasiada!!!

nossa ... ufa

que lindo!

beijos

JPM disse...

Olá,
Desculpa a ingerência, como não sei o objetivo da pesquisa não posso dizer faltou isso ou aquilo, porém, no contexto geral, a maior discriminação é a econômica... somos de acordo com o que temos.
Saúde e felicidade.
João Pedro Metz

Amapola disse...

Boa tarde,amiga Juci.
Porque o que não esquecemos, faz parte do nosso presente.

Muito obrigada pela visita e pelo comentário gentil.

Beijos e flores!

Filipe Costa disse...

Oi Juci,
Lindo texto!
Um abraço!

Paulo disse...

Que paradoxo, mesmo!!! É exatamente assim que me sinto quando sinto saudade...rsrs. Eu ria sozinho enquando lia seu post, pois identifiquei todos os sintomas em mim...
Genial!!!
Adorei a frase no seu perfil: "Só consegue identificar o equilíbrio quem passeia entre os extremos: loucura e sanidade".
Parabéns pelo seu espaço, é lindo!!!
Vou voltar sempre...
Beijo.