quarta-feira, 28 de abril de 2010

Os "estranhos" de cada dia

       
         Como em muitas outras noites depois da aula entrei no ônibus com destino ao meu lar, uma viagem de 30 minutos ou um pouco mais que aproveito para passear em meus pensamentos enquanto as paisagens vão ficando para trás através da janela de onde as vejo. Mas hoje não fiquei na janela, todos os lugares privilegiados estavam ocupados e tive de me contentar em sentar-me ao lado de uma garota que mais ágil que eu pegou a "minha janela", quis ter raiva dela, confesso, mas não consegui. A garota era aparentemente muito agradável, vestia um longo vestido estampado e usava uma faixa de tecido nos cabelos, um visual que quase grita doçura. Certamente ela continuaria ocupando a "minha janela" todo o percurso e só sairia de lá quando eu também deixasse o veículo para pegar outro que me traria então direto para casa, fazer o que; tinha que me conformar.
        Nem coloquei os fones de ouvido para ouvir música, sem ventinho no rosto e uma paisagem parcial fiquei lá mesmo, no ônibus. Desisti de pensar e fiquei apenas observando as pessoas que me cercavam. Quase sempre nem as vejo, e acho que nem elas a mim, uns conversam, outros aproveitam suas janelas e outros, sei lá, pensam. Mas a garota ao meu lado não só roubou minha janela como também virou o centro da minha observação. Ela sorria, um sorriso enorme tão estampado quanto o vestido, estava muito feliz, uma felicidade incontida de modo que ela nem tentava disfarçar. Vez ou outra ela olhava para mim sem tirar o sorriso do rosto, como se eu fosse uma amiga de longa data ao seu lado em um passeio, como se eu entendesse ou até soubesse o motivo de tamanha felicidade. Eu não sei se algum outro passageiro também a observava, mas se o fez recebeu o mesmo ar de cumplicidade que eu. Acho que em algum momento meu rosto quase expressou um sorriso solidário, seria uma disfeita não participar da felicidade que ali pegava carona.
        Então a garota gargalhou suavemente levando as mãos à boca. Olhou para mim e quase que em um impulso parecia que iria me contar alguma coisa. Conteve-se. Tirou um aparelho celular do bolso e começou a digitar uma mensagem de texto, mas o sorriso permanecia em seu rosto. Era um aparelho simples, fora de linha já há algum tempo, mas combinava com sua simplicidade encantadora. Alguns minutos depois pude ouvir um toque que provavelmente anunciava uma mensagem de retorno. Uma nova gargalhada antes de ler, e depois de passar os olhos pelas palavras no aparelhinho levantou-os na minha direção como se eu soubesse do que se tratava e partilhasse de algum modo o que acontecia. Acho que meus olhos sorriram em gratidão para com um gesto tão nobre e espontâneo. Apesar de certamente haver um motivo para a garota sentir-se tão feliz, ela me afirmava que tenho um semblante amigo e um olhar compreensivo aos que me vêem.
        Ela nem deu tanta importância a janela que eu tanto queria, mas eu acabei cedendo o lugar que ela a princípio parecia ter "roubado" de mim. Faço o mesmo percurso algumas vezes durante a semana e vou sentar ao lado da janela tantas vezes quantas conseguir. Mas provavelmente poucas vezes receberei um sorriso gratuito. É quase improvável também que eu veja a garota novamente, e mais improvável ainda encontrá-la tão impregnada de felicidade. Sinceramente, acho que nem a reconheço sem o sorriso no rosto, se é que ela tem um rosto sem sorriso.

9 comentários:

D. R. disse...

:)

Muitas vezes as pessoas rodeiam-nos e nós nem as conhecemos, nem lhes prestamos atenção. É daí que deriva a expressão "sozinha no meio da multidão".

Mas que bom que encontraste alguém que te cativou a atenção.
Que bom que uma estranha te pudesse fazer sentir algo diferente, que todas as pessoas que nos rodeiam são importantes. Que bom que uma estranha te fez sorrir.

Beijinho.

A Magia da Noite disse...

às vezes os céus para nos compensarem enviam-nos em troca de olhares um sorriso gratuito, fortuito.

Ju Fuzetto disse...

Que coisa mais Linda Flor!!!

Um sorriso que estampa a alma da pessoa, totalmente gratificante...

Tão bom sentir o sorriso caindo pelas laterais da boca, se expondo sem medos ou limitações!!!


Um beijo e um sorriso pra ti!!!

*lua* disse...

Olá linda!!!

Puxa aí fica difícil ... quem é o anjo?

A menina que lhe de presente o seu mais belo momento e sorriso ou você que conseguiu decifrar o que ela queria ...

Acho que foi um encontro angelical ... sem palavras ...

beijos

Valéria disse...

Na correria do dia a dia nem nos damos conta dos que nos cercam. Que linda história perdeu a janela, mas ganhou um sorriso eterno.

BeijooO'

Hana disse...

Oi te vi lá em meu blog, corri agradecer e deixar aki meu afeto, meu carinho em agradecimento, demoro pra vir pois a falta de tempo ta sempre em meu dia a dia, mas sempre que da um tempinho corro aki, beijos.
com carinho
Hana

Gabriela disse...

Que lindo, bom é difícil encontrar pessoas sorridentes assim, mais difícil ainda é prestarmos atenção nelas!

Vânia Pereira disse...

Olá

Passa no meu blog e diz o que achas.

Não gostavas de te inscrever gratuitamente, sem nenhum compromisso e ter descontos em todos os produtos? Ou até vender?

Diz algo pf.

beijo

Marischettini disse...

Hoje em dia é tão difícil encontrar a felicidade.