quinta-feira, 1 de abril de 2010

1º de Abril.

       
         Tudo começou quando o rei da França, Carlos IX, após a implantação do calendário gregoriano, instituiu o dia primeiro de janeiro para ser o início do ano. Naquela época, as notícias demoravam muito para chegar às pessoas, fato que atrapalhou a adoção da mudança da data por todos.
        Antes dessa mudança, a festa de ano novo era comemorada no dia 25 de março e terminava após uma semana de duração, ou seja, no dia primeiro de abril. Algumas pessoas, as mais tradicionais e menos flexíveis, não gostaram da mudança no calendário e continuaram fazer tal comemoração na data antiga. Isso virou motivo de chacota e gozação, por parte das pessoas que concordaram com a adoção da nova data, e passaram a fazer brincadeiras com os radicais, enviando-lhes presentes estranhos ou convites de festas que não existiam.Tais brincadeiras causaram dúvidas sobre a veracidade da data, confundindo as pessoas, daí o surgimento do dia 1º de abril como dia da mentira.
        Aproximadamente duzentos anos mais tarde essas brincadeiras se espalharam por toda a Inglaterra e, consequentemente, para todo o mundo, ficando mais conhecida como o dia da mentira. Na França seu nome é “Poisson d’avril” e na Itália esse dia é conhecido como “pesce d’aprile”, ambos significando peixe de abril. No Brasil, o primeiro Estado a adotar a brincadeira foi Pernambuco, onde uma informação mentirosa foi transmitida e desmentida no dia seguinte. “A Mentira”, em 1º de abril de 1848, apresentou como notícia o falecimento de D. Pedro, fato que não havia acontecido.

                                        
                                                                                                            Texto extraído da Revista Escola

5 comentários:

Helga disse...

Venho agradecer e retribuir a visita pelas Planícies da Imaginação. Este blog também está muito interessante.

Boas mentirinhas e Páscoa Feliz!

Beijinho :)

Altamirando Macedo disse...

É, hoje é o dia dela. No país da mentira, nem ela é de nossa autoria. Mentira dos franceses, a mentira é nossa há 500 anos e continuará sendo por muito tempo.
Abraços.

Bela Lima disse...

Que interessante...
Eu odeio dia da mentira.. sempre caio em alguma!
HSAHUSHAUHSUAHUSH

**Kátia MaYa** disse...

Obrigado pela tua vusita no meu blog!
<3
Beijinhoo

Sigo-te

MARIA L. BÓZOLI disse...

"Não se preocupe em explicar emoções.
Viva tudo instensamente, guarde o
que sentiu, como uma dádiva de Deus."

(Paulo Coelho)

Beijos & Flores e Feliz Páscoa!