sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Un Dia Sin Ti (25 de fevereiro de 2011)



Ao amor de toda a minha vida...


...Hoje uma dor aguda é o meu silêncio, e eu tenho o direito de me entregar, e tenho tudo o que preciso; o abandono. Eu sei que eu usei demais o ombro, eu sei e me puni a cada vez que não consegui segurar na alma cada lágrima. Eu sei também, faz tempo muito tempo, que abuso sendo filha em tempo integral... Fazem quase vinte e seis anos, com o tempo fiquei mais pesada e menos angelical sem deixar de ser dependente, e o pior; cada vez mais humana e errante. Confesso que muitas vezes ensaiei a liberdade, e o meu fracasso me fez pesar-te muito mais que quando me carregou no ventre. Eu me perdi, e sei que aos teus olhos nunca mais voltarei ao céu para o qual tanto te preparas. Não sofro tanto por isso; acho que nunca pertencemos ao mesmo céu mesmo, seria impossível. Meu céu sempre foram os teus braços, a tua benção e o teu perdão para o meu maior pecado: minha humanidade excessiva. E já não fosse tão doloroso, quando eu mesma estou cheia de mim e de ser eu e de não ser e me entregando à paz de não ser penso em ti e te dou mais um dia da minha vida, fingindo não saber o quanto ela te custa.
Sua filha.





A quem me ama em partes da vida...


... "Eu te amo." _ Hoje foi a coisa mais inútil que ouvi, mais triste. Com a voz lenta de quem já tinha vivido o suficiente por hoje, ou de quem não pretendia me dar os últimos instantes do dia, foi assim que o ouvi. Eu havia te chamado, o que faz do fato ainda mais triste, mas por outro lado te dá completa razão; você havia me dito para não me preocupar, quando não pudesse me diria...
O gesto, a falta, a sinceridade, minha solidão esfregada na cara de hoje me disseram muitas coisas. Algumas são mais que vozes, eu as posso sentir. Estão todos certos, estou errada tantas vezes, inconveniente outras. Se conversássemos menos não esperaria de ti amizade, não te afastaria dos muitos abraços que a vida te oferece, de momentos de vida em que não se precisa pensar na vida. Das amizades que te são tão caras e certamente não te custam tão caro quanto eu. Seja lá como for um dia me faltaria tudo, o hoje era inevitável, tanto quanto me é inevitável viver o agora... apesar de confessar precisar de ti, de aceitar sua oferta e pedir  sua ajuda, a cada segundo minha respiração ainda que ofegante me prova que sobrevivo sem ombros que não os meus para segurar a mente que não pára. Acho que ela de propósito não decorou seu número, para me dar tempo de frear se por algum segundo pensar em te chamar novamente.
Você não precisa saber dos pesadelos que acordo nem da realidade que não durmo, porque não posso precisar de você. Que te amo é tudo que preciso saber, me basta, e nem preciso te falar. Amor é coisa que se sente, que se faz, que não se nega. Mas guardo as palavras, elas escrevem a minha história que é verdade porque cabem no momento em que são ditas. Para não ser injusta pensei nos motivos de tua ausência, mas é em vão, nunca tomarão em mim a proporção da necessidade de um abraço com vontade, e este não aconteceria se sucedido de mais uma ligação. Não guardarei mágoa. Amanhã tudo terá passado, menos o fato de que estarei diferente, com a sensação de que aprendi a precisar menos de você.
Sua (e)namorada.

Caros amigos que passeiam em minhas palavras agora tristes: todos nós passamos e passaremos por momentos e situações que nos colocarão a prova na vida. Ainda que cada um tenha seu palpite, arrisco que seja para que saibamos merecê-la, não só a nossa, mas a das pessoas que estão ao nosso lado. Nós doamos um pouquinho da nossa vida à elas e vive versa. Tais pessoas são as mesmas que fazem o nosso coração machucado, e aí o desejamos de pedra, porque não queremos sentir a hora do amor doer. Mas dói sim, quando esvaziamos uma cota do amor que temos no ato de amar e sentimos o vazio que fica se nos percebemos sem retribuição. Mesmo tendo dois agentes, algumas vezes amar é solitário, um ama e o outro se permite ser amado e sai apressado. Não porque não ame também, mas porque talvez ache que amanhã compensará. Como se o amor se submetesse ao tempo, como se o tempo favorecesse o amor e não o contrário. Como se a casa viesse antes da obra, que o respirar viesse antes do ar, que o abraço viesse antes do olhar, que o querer bem para toda vida viesse antes de pedacinhos da vida querendo e fazendo bem.

27 comentários:

Lua disse...

Juci belas palavras.
Tocante, intenso e doce, tudo que escreveu.

Beijos querida ;)
Bom fim d semana!

Priscilla Cavazzotto disse...

Belas palavras...
Beijos meus
Um bom final de semana pra ti!

Anônimo disse...

Tua mãe de certo lerá tão profundas palvras
e saberá perdoar-te
mãe, sabe bem ´dos erros dos filhos
e os enconde.. POR AMÁ-LOS


Abraço

Dama de Cinzas disse...

Palavras saídas do coração! Tocante.

Beijocas

Yasmine Lemos disse...

desabafe,faz bem para alma.fique bem,cuide-se.
beijo

Capitu disse...

Obrigada pela visita..
seguindo aqui tbm ...

bjs

Eduardo Medeiros disse...

caramba, juci, quanta emoção junta e misturada...rsssss

você expõe sua alma no que escreve(acho assim)e por isso, me toca, me faz pensar e refletir.

teu texto para a sua mãe é formidável.

quanto ao objeto de amor ausente, distante, às vezes cruel e a história que teima se repetir. mas amar sempre vale a pena, ainda que não recebamos em troca o mesmo nível de amor oferecido. é claro que isso pode nos machucar.

mas quem disse que amar seria fácil?

beijos

Dois Rios disse...

Oi, Juci,

O amor e a sua ambiguidade.
Dói porque falta ou dói por não caber em si. Sempre dor. Sempre amor que alimenta, orienta e dá o sentido à vida.
===
Grata pela visita. Mseu blog anda meio preguiçoso mas breve voltará a pulsar.

Beijo,
Inês

Tainã Almeida disse...

Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos periodos mais marcantes da vida.
mais o que o adolescente pensa disso?:

Visita meu blog?

http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

Se gostar do blog, segue lá, ficarei muito feliz.
Beijos.

Colecionadora de Silêncios disse...

Minha querida, que texto mais tocante... lindo demais! Emocionou-me suas palavras a ponto de eu não saber o que te dizer.

...

Portanto, fique com o meu silêncio, que ele sempre soube dizer mais do que eu mesma.

Um grande abraço...

manuel marques disse...

O coração das mães é um abismo no fundo do qual se encontra sempre um perdão.

beijos meus.

Bárbara Silva disse...

- é mesmo (:

Ana Kalil disse...

Olá Juci...!
Muitas vezes me sinto assim também...e como a vida nos põe a prova. Em todos os sentidos. E é no amor e na perda que agente mais se "encasula", fechados na dor...

Beijos e tb gostei muito do seu cantinho

Marcos Almeida disse...

Lindas palavras amiga, sua intensidade é marcante, profunda e tocante

Abraços do amigo

Flor da Vida disse...

Rica, emocionante, e reflexiva mensagem! Aplausos!!!

Linda e abençoada semana pra ti!
Carinhos... Bjsss

Fátima disse...

Sua tristeza marca as linhas que escreve. A emoção com que navega pelas palavras chega até nós de uma forma impressionante! Gostaria sinceramente aliviar o peso que carrega mas não sei como fazer?! Então desejo de coração que você consiga encontrar um caminho de felicidade plena e asas para conseguir voar...

Beijo de luz

Leo disse...

Quanto amor! adorei.

Beijos!!

Lady Me disse...

Adoro os teus textos! Ainda bem que temos uma mãe na nossa vida com um ombro sempre ali para nós!!

Lucas disse...

Eu te aplaudaria de pé! é exatamente o que eu sinto o ultimo texto... tem que estar confiante demais para entregar o amor ao tempo... acho que é sim ao contrário, e o amor pode até ser eterno, mas, ele não sabe esperar logo aprende a amar em outra direção.
bjxxx

FÊNIX CRUZ disse...

Oi, Ju. Lindo. Confissões da alma: (re) nascimento(s)...medos...metamorfoses...tudo dói. Mas, o saldo será sempre a experiência. Essa é a verdadeira riqueza que nos guiará para um futuro melhor.
Beijocas em seu coração de pedra (polida como um diamante!)

Amapola disse...

Querida amiga Juci.

Que textos tristes, menina...

Quanto à sua mãe, penso que o melhor a fazer é você se contentar com o amor que você sente por ela.
A vida me ensinou isso. O tempo...

Quanto ao namorado, se esse não a merece, certamente você encontrará
gente menos egoísta no seu caminho.

Desejo-lhe muitas felicidades. Que a luz divina seja sua guia.

Beijos no coração.

Leninha Morais disse...

O primeiro texto me emocionou muito.

Lindas palavras!

Flores pra você!

Bé* disse...

A tua forma de escrever fascina-me!

[A música de fundo, é linda!]

Beijinho

Maria Emilia Xavier disse...

Textos apesar de tristes, colocam a mostra uma alma delicada,terna e bonita nas suas verdades, assombros e interrogações. Tudo que li me tocou muito fundo e me fez refletir sobre vários aspectos da minha própria vida.Gostei de retornar por aqui.

Cida disse...

Eita menina que escreve bem!

Saio daqui emocionada, mas antes, te deixo um beijo, e te desejo tudo de bom.

Cid@

IsaBele disse...

Lindo, Ju... Fiquei com vontade de escrever cartas.

Carinho em você,

Isa.

Vivian disse...

Mulher que sonha.
Mulher que trabalha.
Mulher que luta.

Mulher mãe.
Mulher filha.
Mulher que manda
e que ama.

Mulher de erros e acertos.
Mulher de atitudes.

Mulher de palavras doces
Mulher decidida.

São tantas qualidades para
tentar definir esta criatura
abençoada por Deus, e que,
por vezes nos perdemos
em palavras.

Você, mulher, faz parte
disso, representando com
doçura e determinação um
universo totalmente
desconhecido, que a
cada dia revela-se
ainda mais misterioso
e, portanto,
apaixonante.

Parabéns MULHER,
pelo nosso dia!

Beijos, querida!